Colorful empty room 3d render.There are minimalist style image ,The room has white floor,pink green and blue wall,yellow and orange stait, furnished with red chair

O mundo vem passando por grandes transformações e nossos lares, mais do que nunca, tornaram-se um espaço onde tudo acontece o tempo todo, mas também onde encontramos a energia que precisamos para começar um novo dia. Por esse motivo, tornamos esses ambientes uma extensão cada vez mais fluída de quem somos e o que buscamos, recriando histórias, conexões e laços, de maneira que o tempo despendido nesses ambientes – casa ou escritório – seja o mais agradável possível. Afinal, mais do que os números em um relógio, o tempo é também uma sensação, uma jornada introspectiva.

Por isso, a Impress nos convida a um mergulho profundo em como a percepção do tempo influencia nas nossas escolhas e nos materiais que nos rodeiam. E é essa a essência proposta na nova campanha global da marca – Uchronia – que traz a utopia do tempo para o palco de nossas vidas, incluindo, claro, nossa relação com o morar. O novo conceito do Grupo Impress é baseado em seis macrotendências: Emergente Utopias, Humbly Crafted, Sensory Healing, Joyful Home, Off the Grid e Out of this World, que foram lançadas no mercado brasileiro, durante a 10ª edição da Semana de Design de São Paulo.

Conheça mais duas delas:

Sensory Healing

Nunca buscamos tanto o equilíbrio entre o nosso corpo e a nossa mente. As nossas casas se tornaram lugar de cura e conforto, que nos acolhe e revigora, nos ajudando a desintoxicar do barulho e da distração. Se antes as funções que exigíamos das casas eram mais simplórias, restringindo-se às funções básicas de dormir, se alimentar e trabalhar, a partir de agora, existe uma conexão atrelada aos novos hábitos adquiridos, criado uma conexão emocional e sensorial.

Cor, som, luz e textura são usadas ​​nos espaços, estimulando ou acalmando, rejuvenescendo ou encapsulando conforme necessário. Estamos descobrindo que é tão importante que as coisas sejam visualmente bonitas e reconfortantes quanto fisicamente confortáveis. As escolhas por materiais são muito mais movidas pelo senso de continuidade, de homogeneidade, de harmonia entre os espaços. Pedras, madeira e tons neutros criam essa extensão do olhar, esse prolongamento do tempo e da jornada dentro dos lares. Mas, não é só essa conexão natural ou as novas práticas que trazem um aprimoramento do morar. A tecnologia está presente e tem evoluído para ajudar nessa integração. Saem os materiais brilhantes, o plástico preto, que caracterizam a ideia da tecnologia high tech ou do gadget e entra uma tecnologia mais inteligente, mais harmônica e humana do ponto de vista dos materiais, das texturas e das próprias cores, que se conectam com os projetos de interiores.

Joyful Home

Essa tendência é impulsionada principalmente pela necessidade de otimismo e alegria e está é ligada diretamente às gerações dos late millenials e Z. Duas gerações que trazem a bagagem do digital, da internet e da conexão com o universo do entretenimento e da televisão. Por isso, nesses espaços arte, cor, forma e materiais alimentam a estética de alegria e positividade, atrelada à influência dos seriados de época, com temas tendências ou tradições do passado. O estilo do rococó francês, do vitoriano e do art décor, influenciam essa tendência, seja pelas estampas florais, pelas estampas coloridas, o uso de cores nos espaços, o uso de materiais metalizados e a marchetaria em madeira, assim como as representações das nossas próprias identidades através de produtos, móveis e objetos que refletem tudo aquilo que pensamos e acreditamos.

São referências de um mundo mais onírico, mais clássico, rebuscado, numa reinterpretação com um olhar atual e jovem. É como se fosse um novo retrô, mas com uma pitada de humor, transmitindo sensações alegres e de otimismo.

Nesses espaços, a decoração se integra à revalorização do hábito de receber os amigos e da criação de ambientes que conectam e acolhem pensamentos, criando laços. E nessa busca por elementos de representatividade, a cultura do DIY é valorizada, pois existe a democratização da decoração, dos interiores, do design, bem como transformação de móveis e espaços pelo uso da cor, de novas texturas e novas padronagens.