Madeira engenheirada: o que é e quais são as suas vantagens na construção

Não é uma novidade. Mas a madeira engenheirada ganhou mais espaço nos últimos anos devido ao seu apelo rentável e sustentável. Desenvolvida na Europa há muitas décadas (o primeiro registro que se tem é a patente criada na Alemanha em 1911), a madeira engenheirada já é usada há muito tempo no velho continente e nos Estados Unidos, mas no Brasil só ganhou força há menos de uma década. Mas afinal, o que ela traz de vantajoso para a arquitetura e a construção civil?

A madeira engenheirada é a madeira – geralmente pinus e eucalipto – que passa por um processo industrial, fazendo com que a matéria-prima desempenhe seu papel com mais qualidade. Por isso o nome “engenheirada”, ou seja, a madeira passa por engenharia para que suas possíveis imperfeições sejam retiradas e ela se transforme em um produto com propriedades construtivas superiores.

No mercado existem dois tipos mais comuns de madeira engenheirada? A CLT (Cross Laminated Timber) e MLC (Glue Laminated Timber). Esses produtos possuem muitas vantagens. Uma delas é a versatilidade de uso, por ser um material de fácil manipulação e sua flexibilidade permite as formas e aplicações mais variadas, em comparação a outros produtos, como o aço e o concreto.

Outra vantagem da madeira engenheirada é a sua facilidade no desenvolvimento e execução do projeto, pois a madeira é um material seco e possui um peso muito mais leve que outros materiais, deixando a logística do projeto mais barata e rápida, além de uma obra mais limpa. Sua resistência a maresia, ao fogo também são invejáveis.

Mas a característica que tem feito as construtoras, arquitetos e engenheiros se encantarem pela madeira engenheirada é a sua grande vantagem no que se refere á sustentabilidade. Desde o plantio das árvores destinadas ao processo, já acontece o sequestro de gás carbônico, tornando a construção uma aliada no processo de emissão de gases poluentes. Nesse quesito, a madeira engenheirada sai muito na frente em comparação ao concreto, por exemplo, por utilizar uma quantidade de areia que pode refletir no meio ambiente e do aço, extraído da mineração, uma das maiores vilãs das florestas nativas em todo o mundo. É uma matéria-prima renovável, que pode ser mantida através de florestas plantadas e que só pode ser sustentada por meio de extração legal e certificada, respeitando o ecossistema local e levando a proposta ecológica para grandes centros urbanos.

Enfim, é um material que vai ganhar no Brasil cada vez mais espaço em grandes obras e nas casas das pessoas que se preocupam com o futuro.

ARTIGOS RELACIONADOS

Riken Yamamoto, o arquiteto das conexões humanas, vence o Pritzker 2024

A prestigiada honraria da arquitetura mundial, o Prêmio Pritzker,...

Salão do Móvel 2024: novos pensamentos para o futuro do morar

Milão, a cidade que se posiciona como o epicentro...

Semana de Design de Milão: saiba quais são as escolhas da Impress

A cidade de Milão, conhecida mundialmente como a meca...

Expo Revestir 2024: confira os highlights da feira

A Impress visitou a Expo Revestir, que ocorreu de...