Lugar de descanso e de reconexão com o eu, mas também de se divertir, de receber, trabalhar, estudar, ensinar e até de fazer compras! Nossas casas vêm se tornando espaços a cada dia mais dinâmicos à medida em que novas atividades do “universo exterior” podem ser realizadas de maneira on-line e remota. E é esse entrelaçar entre o privado e o coletivo, o pessoal e o profissional, o interno e o externo, que vem transformando não só nossas rotinas, mas também a maneira de se projetar os espaços.

Num momento em que a vida acontece dentro de casa, diversas famílias que antes só se reuniam no horário do jantar, passam a compartilhar não apenas do mesmo teto, mas também do tempo. Nesse cenário tão plural, a casa precisa se adaptar para atender a todos os moradores — indivíduos de diferentes gerações, gêneros, necessidades e estilos de vida — de maneira simultânea.

A cozinha exemplifica muito bem essa ideia: espaço de cozinhar, servir, bater papo, celebrar… e agora também de estudar, trabalhar, pagar contas. Um dos espaços mais íntimos de nossas vidas, o quarto hoje pode ser também lugar de se fazer reuniões de negócios e matar a saudade dos amigos por meio de videochamadas. A sala de estar pode ser tanto um espaço para a prática de exercícios e momentos de descanso quanto se transformar num cinema ou numa sala de jogos para toda a família.

Essa constante construção e desconstrução entre as barreiras coletivas e individuais tem feito com que a arquitetura contemporânea passe a permitir leituras menos normativas sobre os cômodos e suas funções. Ou seja: o foco passa a estar no indivíduo, ou melhor, nos indivíduos que na casa habitam. Serão eles que definirão a função dos espaços de maneira orgânica, muitas vezes sem ambientes claramente definidos.

Elegante e movimentado, o Brisbane Acácia é um madeirado atemporal de apelo bastante autêntico. Seus movimentos sutis criam uma estética adaptável e que responde muito bem seja a momentos individuais ou coletivos

Mudanças, estas, que pedem por soluções cada vez mais híbridas e flexíveis. E a tecnologia, claro, pode ser uma ótima aliada nesse sentido, com a conectividade passando a tornar o nosso dia a dia mais prático. Por meio de dispositivos por comando de voz, por exemplo, podemos controlar a iluminação, o que faz uma enorme diferença na ambientação dos espaços. Afinal, a luz que precisamos para estudar e trabalhar é diferente da luz para um momento de relaxamento ao assistir TV, ler ou mesmo praticar yoga. As cores também podem ajudar bastante a iluminar ou criar sombras nos espaços, possibilitando um jogo vibracional bastante interessante.

A Energy Flow surge como uma alternativa para mantermos o contato com a energia natural, trazendo luz e calor para os ambientes internos. Criando, assim, um universo ao mesmo tempo energético e acolhedor

Para além de soluções tecnológicas, é possível, então, realizar adaptações mais simples e que geram um impacto bastante significativo na forma como utilizamos os espaços. Portas de correr, biombos ou até mesmo mesas no estilo bancada podem ser boas opções para delimitar diferentes áreas dentro de um mesmo ambiente.

Trazendo uma atmosfera urbana para qualquer espaço, o padrão Kilox oferece uma superfície híbrida que agrega um efeito metálico. Além de contar com uma ampla variedade de cores que combinam muito bem com a vida moderna

Além disso, o desafio é pensar em móveis práticos o bastante para atenderem diferentes rotinas e estilos de vida ao mesmo tempo. Móveis leves e com rodízios são uma boa saída para a rápida transformação de um espaço. Assim como o mobiliário multifunção, como mesas dobráveis e sofás modulares. Com os recursos adequados, portanto, fica mais fácil adaptar nossas casas a novas funções sem abrir mão do conforto, da estética, tampouco da nossa privacidade.