Design Weekend 2022 agita o mercado da criatividade em São Paulo

O DW, como é mais conhecido, é o evento que tem se tornado, a cada ano, referência nacional no calendário anual dos principais eventos de design do país. Criativos, formadores de opinião, a indústria e incentivadores do segmento realizam centenas de eventos e ações especiais para a semana mais aguardada da cidade de São Paulo em relação ao design.

Este ano, merecem destaque diversos eventos que se mostraram inovadores tanto na estética, na proposta de tendências, como também na forma de oferecer uma provocação ao visitante, fazendo-o a se questionar como indivíduo de uma era onde o viver se estende por todos os espaços que ocupamos, nos percebemos e nos manifestamos em nossas relações do cotidiano.

Uma ideia de ter um refúgio onde se possa dormir, trabalhar ou ver o tempo passar foi vista em algumas lojas e marcas, como é o caso da Marché Art De Vie, DonaFlor e Alberflex. As três apresentaram concepções distintas na forma, mas semelhantes na proposta: o casulo como elemento material da proteção e do acolhimento que se estende para além da área interna da casa.

Alberflex, foto: divulgação

Alberflex apresentou uma coleção que evoca o futuro dos espaços de trabalho com móveis que, ao mesmo tempo que promovem privacidade em ambientes compartilhados, oferecem conforto visual e sonoro.

Donaflor Mobília , foto: divulgação

A Donaflor Mobília lançou sua coleção Jardim Donaflor, onde a cultura japonesa se funde à brasilidade para criar uma atmosfera que preza pela simplicidade das formas para atingir o conforto máximo. Na foto (divulgação), um gazebo assinado por Juliana Pippi, é inspirado nos tradicionais shoji, painéis vazados preenchidos com papel translúcidos, que permitem a circulação de luminosidade natural.

A Marché Art De Vie propõe um debate sobre formas de abranger a sustentabilidade em suas ações. O projeto Casa de Dentro traz a criatividade artística com pensamentos sustentáveis, discutindo o universo da casa enquanto natureza. Um casulo feito com galhos de árvores evoca a nossa constante vontade de conexão com a natureza em seu mais profundo significado. Idealização de Ana Clara Muner e Lucas Pradino.

Marché Art De Vie, foto: divulgação

No universo das ações mais criativas, sempre pensamos em marcas que deixam lembranças memoráveis durante bastante tempo e que refletem como a indústria pode ousar em eventos desta magnitude, como o DW. A Estar Móveis, a Sierra Móveis, a Colormix foram empresas que investiram, assim como todo ano, em cenografias, conceitos e instalações que foram recorde de visitação pela identidade única e que escapa, felizmente, do circuito comercial do festival.

Para este ano, a Estar Móveis apresentou a instalação “Tudo Que Não Foi Dito”, onde as palavras constroem a tessitura do design. Diversos profissionais criaram frases sobre peças de mobiliário, pinturas na parede e projeções, fazendo uma antropofagia da própria língua portuguesa, propondo uma percepção poética através da tridimensionalidade da linguagem.

Instalação “Tudo Que Não Foi Dito”, Estar Móveis, 2022, foto: divulgação
Cadeira Pneumo na instalação “Tudo Que Não Foi Dito”, Estar Móveis, 2022, foto: divulgação

65 mil balões formaram a instalação “Antifrágil”, criada por Jean Labanca para a Sierra Móveis. Inspirada no livro Antifragil de Nassim Taleb, na observação do comportamento humano nos últimos tempos e no Modulor criado por Le Corbusier, a instalação evoca o oposto da fragilidade que se rompe frente as adversidades do cotidiano, tornando o indivíduo cada vez mais forte a cada desafio encontrado. Uma ode ao comportamento pós-pandemia referenciado em diversos setores da sociedade.

Instalação “Antifrágil”, Sierra Móveis, 2022, foto: diivulgação

A convite da marca Colormix, o designer têxtil Alex Rocca criou a instalação “Território”, onde procurou trazer a sua busca poética pela ancestralidade, fazendo uma extensa pesquisa sobre os movimentos culturais africanos. Sobre um painel formado por pedras e fios naturais, o artista se propõe a criar estruturas orgânicas que se fundem ao desenho das rochas.

Instalação “Território” de Alex Rocca para Colormix, foto: divulgação

A edição de 2022 ainda deu um destaque grande às ocupações coletivas em edifícios icônicos da capital paulista, como forma de ressignificar a região que por muito tempo ficou à margem dos  grandes centros de design de São Paulo. O prédio 7 de Abril, antigo Prédio da Telefônica e o edifício Virginia firmaram como endereços nobres e relevantes para a criatividade contemporânea.

O edifício 7 de Abril, antigo prédio da Telefônica, assinado pelo escritório Ramos de Azevedo, reabriu para abrigar o Espaço Kura. Nele, o coletivo Gabinete 7, criação da Refúgio Design, composto por 20 artistas que criaram instalações no saguão principal do prédio, que buscaram preservar ao máximo as condições atuais e, de forma criativa, reutilizar objetos encontrados no lugar.  Além disso, peças contemporâneas e assinadas completaram as propostas de uma mistura do passado com o presente.

Refúgio Design, 2022, foto: divulgação

No edifício Virginia, inaugurado em 1951 e que receberá retrofit, recebeu a mostra O Tempo das Coisas, com curadoria de Claudio Magalhães. A mostra teve como intuito expor as marcas do tempo junto às instalações de vários artistas convidados. O resultado foi uma mistura profunda de como o tempo interfere em nosso comportamento atual.

Obra de Lau Guimarães, foto: divulgação

Mas o DW também é feito de lançamentos de tendências, produtos e conceitos. A Suvinil aproveitou a visibilidade do festival para lançar a sua paleta de Cores 2023, com destaque para a Cor do Ano, em um evento físico que celebrou a nova coleção. Com tons vibrantes e otimistas, a marca revelou novos materiais para a composição de suas tintas que, no caso da Cor do Ano – Calcita Alaranjada, é 100% feita de pigmentação mineral extraída de mistura de argilas  – mostra o empenho das empresas em buscar produtos cada vez mais atentos para as questões ambientais.

Calcita Alaranjada, Cor do Ano 2023 da Suvinil. Foto: André Klotz, Divulgação

O DW 2022 mostrou, em suma, uma celebração do retorno dos grandes eventos do design nacional e se mostra ambicioso em se tornar referência além das fronteiras.

ARTIGOS RELACIONADOS

O exótico das pedras naturais na decoração e no design

Por muito tempo se pensou na uniformidade dos materiais,...

Inspiração em pequena escala

O futuro chegou e trouxe com ele o boom...

Surrealismo e design: o que o inconsciente nos oferece no campo da criatividade

O design surrealista, oriundo do movimento que nasceu nas...

Tons monocromáticos no design de interiores

Para o olho humano não existe espaço em suas...

Conforto acima de tudo é a premissa para a casa de hoje

Cada vez mais percebemos como a casa tem se...

A ancestralidade como potência da criatividade

Recuperar a história de antigas civilizações e de nossos...