Em contrapartida a um mundo cada vez mais digital, ágil e dinâmico, surge a necessidade de desconectarmos e adotarmos novos hábitos que minimizem o impacto que a tecnologia, a conectividade e os excessos do nosso dia a dia exercem sobre a saúde física e mental. Nesse sentido, ambientes com uma atmosfera de aconchego e conforto, mas sem perder a pegada contemporânea, voltam a figurar com tudo na decoração, como uma resposta a essas novas demandas e estilos de vida. 

Pelo menos é o que foi observado nas primeiras feiras do segmento de móveis e interiores do ano, provando que o bem-estar é uma das maiores tendências para 2020. Como já é esperado, a equipe de design da Impress esteve presente em alguns dos mais importantes eventos para o levantamento de tendências e prospecções de mercado, e agora compartilha com vocês alguns highlights das populares IMM Cologne (Alemanha) e Maison (França).

Apesar de aderirem mais uma vez à linguagem escandinava, as marcas expositoras apostam num minimalismo menos óbvio, com mais movimento, cor e calor neste ano, apresentando espaços que revelam a rotina e o estilo de vida de moradores que realmente curtem e vivenciam seus lares. Trata-se do “cozy minimalism”, que mistura de maneira equilibrada o melhor da funcionalidade prática à estética tradicionalmente minimalista, num balanço bem cadenciado de tonalidades, estampas, texturas, formas e materiais, contemplando nosso eu interior e trazendo a natureza nos detalhes, como um background para o viver urbano. 

SHIRING WALNUT & VILLAGE OAK

Um bom exemplo disso é o uso da madeira natural, como superfícies em Nogueira e Carvalho, combinadas às pedras e estruturas em metal (que apareceram com menos protagonismo neste ano)

Nesse cenário, o até então predominante estilo industrial se torna menos dominante. Destaque para a considerável diminuição do cinza como cor sólida, sendo agora mais utilizado em estofados, tapetes e em materiais mais minerais e naturais como as pedras.

ESPERANZA & TIVOLY

 “Quando falamos no desaparecimento progressivo do estilo industrial é normal crer que o natural se sobressaia. Por um lado isso é verdade, porém, o que se viu não foi uma ode ao natural pelo natural, como em edições passadas, mas sim como características para se criar espaços cada dia mais acolhedores”, esclarece o gerente de design e marketing da Impress Decor Brasil, Alexandre Chiquiloff, que esteve presente nos eventos. 

TAPIZ & THE BURNING

Superfícies inspiradas em tecidos de tramas naturais e até mesmo a madeira com aspecto queimado ilustram muito bem esse novo momento do “natural” na decoração

Ele continua: “Objetos e materiais elegantes e com um certo luxo também andam juntos às referências minimalistas. Aliás, um dos conceitos mais explorados é a ideia do ‘tudo é permitido’. Como uma licença criativa onde a sensação que o espaço traduz é mais relevante que sua linguagem propriamente dita, transmitindo alegria, leveza, um ar de serenidade e frescor. Criando-se, assim, uma atmosfera bastante positiva”.

UNICOLORES

Atmosfera conquistada também pela intensa presença de tons pastéis nos ambientes e mobiliários, num universo que variou entre verdes, azuis, lilás e toda a gama dos terrosos e rosáceo e foram explorados em mesclas, tom sobre tom até misturas bastante inusitadas. Tudo isso emanando diferentes sentimentos e comprovando, mais uma vez, que estamos mesmo vivendo a “era da experiência”, com grandes marcas colocando cada vez mais as sensações e as necessidades humanas (inclusive emocionais e espirituais) no centro do design.